Una habitación con vistas
Un balcón sobre el Atlántico... una  agradable sorpesa al entrar en A Casa d´Arriba y hallar diseño moderno y funcional, toques de buen gusto; una cuidada
presentación; la terraza soñada por todos sobre el mar; y el ambiente agradable impuesto por Filipe e Isabel.Bajar al desayuno es toda una experiencia en ese comedor IKEA. Imprescindible si persigues placer y tranquilidad. Francisco R

Grande surpresa que eu tive ao chegar à Casa d'Arriba.. Nada me fazia imaginar a tranquilidade, a paz, o sossego que a Casa transmite! O som de
fundo do bater das ondas nas rochas da arriba mesmo por baixo da Casa. Passei uma semana de férias divinal.. Adormecer e acordar com o som do mar. A
Casa em si é decorada com extremo bom gosto, com tudo o necessario para uma curta estadia perfeita. É provida de um conforto extraordinario. E mais nao
digo.. deixo que o descubram voces mesmos..Ivo R.

Do melhor que temos em Portugal. Vale a pena! Tive a feliz oportunidade de passar um fim de semana no Carnavla neste lugar idílico e confirmo tudo o que
os hóspedes anteriores disseram. Do muito turismo de habitação que tenho experimentado, incluindo Espanha, este foi aquele em que me senti
verdadeiramente em casa pois o acolhimento do Filipe aliado às condições da casa tornaram a minha estadia simplesmente divinal. Se o mar é para si um
companheiro habitual, este é o lugar ideal para o reencontro; se o mar ainda é um desconhecido para si, então
aproveite esta oportunidade pois não ficará desiludido, será uma experiência que nunca esquecerá e desejará voltar.  Ah, é verdade... já me esquecia!  O
Filipe é a alma desta casa. Disfrute da sua companhia que não se arrependerá! J.Santiago

Recordo um quarto branco
Em que a luxuria do mar branco de ondas brancas
Bate de encontro à varanda e entra pelo quarto a dentro
Trazido pelas asas das gaivotas

Recordo o vaivém das ondas entre as rochas
E a espuma que faz desenhos de Adasmatores esverdeados
No ecrã gigante da janela, em perpétuo movimento,
Enquanto no quente conforto da cama
A vista se deleita, entretida, com os seus jogos,
Entre céu e mar

E se no meio do transito do caos lisboeta, a tensão começar a subir,
Nada como recordar,
E deixar que a suave melancolia do barulho das ondas nos invada,
E que as imagens românticas daquele quarto branco, de ondas brancas,
nos voltem à memória.

Obrigada, Casa d'Arriba
C. Ribeiro

Vista do largo, a casa é sensata e conformada, nada indiciando da vertigem com que se pendura na arriba. Só lá dentro, olhando o mar, se lhe percebe a alma. Vem-lhe do mar, a que despudoradamente se escancara, a força insuspeitada com que se agarra à rocha. Existe só para ele, que dia e noite a embala desdobrando-se aos seus pés sucessivamente, vestindo-lhe o horizonte de mil cambiantes sempre renovados, desmultiplicando-se na distância que a
agiganta. Vivem um para o outro, acrescentam-se, num amor imenso e desmesurado de que o Filipe a Isabel são guardiães e nos concedem o privilégio de
testemunhar. Só pensamos em voltar.Ana RR

A Casa d'Arriba é um daqueles locais que não se descreve!
A Casa d'Arriba, vive-se!

Fim de semana de 17,18 e 19 de Outubro. Longa viagem e chegada à Praia da Consolação cerca das 22 horas. Quase chegados ao local, mas sem
sabermos onde é, deparámo-nos com sentidos proibidos, excepto cargas e descargas e a moradores, em todas as direcções (soubemos depois que não são
para cumprir). Depois de um breve telefonema para o Sr. Aurélio, proprietário e excelente anfitrião da "casa", rapidamente chegámos e já ele nos
esperava à porta.
Subimos ao estúdio azul e (existem mais dois o amarelo e o verde) deparámo-nos com uma simplicíssima mas muito prática e funcional decoração e uma
vista soberba sobre o mar e a rocha, esta com um tipo de sedimentação e erosão que até parece calçada de grandes dimensões.
Os dias foram reservados para algumas visitas na região, principalmente à vila de Óbidos, ao Santuário do Senhor Jesus da Pedra, Foz do Arelho e Lagoa
de Óbidos, mas as noites suaves e o acordar com a aragem marítima e o ruído suave das vagas nada encrespadas, que morriam no rochedo em "lençóis"
de espuma, foram um dos pontos altos de uma estada maravilhosa proporcionada como prenda de um aniversário especial.
Há uma particularidade que deve ser referida e que consideramos outro dos pontos altos desta estada; O pequeno almoço servido em tabuleiro e deixado
à porta do quarto às nove horas, onde café, leite, pão regional, pães de leite, croissants, bolinho pão de deus, manteiga, compotas, fiambre, queijo, sumo
natural e imagine-se dois pastelinhos de nata ainda mornos, que fizeram as nossas delícias e nos deram uma imagem perfeita na arte de bem receber!
Por estas e por outras... é bom viajar por este Portugal!Ana C./Amílcar R. - Portugal